top of page

Descobrindo as principais gírias de Belém do Pará: mergulhe na cultura local! Parte 1

Atualizado: 23 de mai. de 2023


Belém do Pará é uma cidade vibrante e repleta de tradições culturais únicas. Além de sua rica história e paisagens deslumbrantes, a capital paraense também é conhecida por sua linguagem peculiar e gírias características. Para ajudar os viajantes que desejam mergulhar na autenticidade dessa região, preparamos um guia divertido e informativo sobre as principais gírias usadas em Belém.


No vocabulário paraense, uma das expressões mais emblemáticas é "égua" e sua variação "paid'égua". Essas palavras são frequentemente utilizadas no dia a dia e são consideradas uma espécie de "marca registrada" da região. Vamos explorar o significado e o contexto em que essas expressões são usadas.


Vale ressaltar que o uso dessas expressões varia entre as pessoas e os contextos. Elas são parte integrante da linguagem coloquial paraense e ajudam a transmitir emoções de forma enérgica e autêntica. Portanto, ao visitar Belém do Pará, é comum ouvir os habitantes locais utilizando "égua" e "paid'égua" em seu vocabulário do dia a dia.


Esteja preparado para se comunicar como um verdadeiro "paraense" durante a sua visita!


1. "Égua":

"Égua" é uma interjeição paraense bastante peculiar. Ela não tem um significado literal específico, mas é geralmente utilizada para expressar emoções intensas, como surpresa, indignação, frustração ou até mesmo admiração. O uso de "égua" é semelhante ao uso de "caraca", "caramba" ou "carambolas" em outras regiões do Brasil.


Por exemplo, se um paraense estiver surpreso com uma notícia, ele pode exclamar: "Égua, você já ouviu isso?". A palavra é utilizada como uma forma de demonstrar ênfase e entusiasmo.

"Égua não!!!" Essa expressão também é usada para expressar indignação.


"ÉEEEgua.." a expressão pode ser usada quando o paraense está muito supreso ou quando tem uma grande emocão ou admiração. Exemplo: Quando sai um gol de Remo ou Paysandu, os clubes de maior torcida do estado, é comum ouvirmos: "éeeegua do golaço! Ou ainda a junção de dois termos: "Égua da viagem paid'égua!" Mas o uso desse termo é muito mais amplo. Depois aprofundaremos.


2. "Paid'égua":

"Paid'égua" é uma variação de "égua" e é uma expressão ainda mais enérgica. Ela é usada para enfatizar algo ou alguém de forma positiva ou negativa. Essa expressão pode ser interpretada como uma forma de demonstrar admiração ou reprovação intensa, dependendo do contexto.


Por exemplo, se alguém contar uma história incrível ou fizer algo surpreendente, os paraenses podem dizer: "Esse cara é paid'égua!", significando que essa pessoa é realmente impressionante ou extraordinária. Da mesma forma, se algo der errado ou frustrante, pode-se dizer: "Esse dia está paid'égua!". Ou então, quando alguém faz algo muito errado ou dá uma mancada ouve: "paid´égua né mano?"


3. "Pistola" - Surpreso ou irritado:

Começamos com uma expressão bastante popular em Belém do Pará. Quando alguém está "pistola", significa que está surpreso ou irritado com alguma situação. É uma forma descontraída e enérgica de expressar emoções intensas. Por exemplo, se você experimentar um prato delicioso na cidade, pode dizer: "Esse açaí tá muito bom, tô pistola!". Ou ainda "Ele ficou pistola com a minha resposta errada"


4. "Maromba" - Academia:

Se você ouvir alguém mencionar "maromba" em Belém, não se confunda! Essa gíria é utilizada para se referir à academia, local onde as pessoas se exercitam e cuidam da forma física. Portanto, se você encontrar um paraense falando: "Vou dar um pulo na maromba", já sabe que ele está indo para a academia. Um(a) "marombado(a)" é alguém com músculos avantajados. Mas cuidado! Usar essa expressão com um desconhecido pode ser ofensivo.


5. "Dar um rolé" - Passear:

Quando os paraenses querem sair para passear, costumam dizer que vão "dar um rolé". Essa expressão é bastante comum e indica um momento de lazer e descontração. Se você estiver em Belém e convidar um amigo para "dar um rolé" pela cidade, certamente será compreendido.


6. "Mermão" - Meu irmão:

"Mermão" é uma gíria bastante popular em Belém do Pará e é utilizada como uma forma amigável de se referir a alguém. É uma maneira de chamar alguém de "meu irmão" ou "meu camarada". Portanto, se você ouvir um paraense dizendo: "E aí, mermão, tudo bem?", pode responder de forma amigável e descontraída.


7. "Dar um sacode" - Surpreender:

Quando algo surpreendente acontece, os paraenses costumam dizer que alguém "deu um sacode". Essa expressão é usada para descrever uma situação em que algo ou alguém causa um impacto positivo, impressionando a todos. Por exemplo, se você participar de um evento cultural em Belém que supera suas expectativas, poderá dizer: "Esse festival de música deu um sacode, foi incrível!".


Conclusão da Parte 1: Belém do Pará não é apenas um destino turístico deslumbrante, mas também uma cidade com uma linguagem peculiar e gírias cativantes. Ao se familiarizar com as expressões locais, você terá a oportunidade de se envolver ainda mais com a cultura paraense e se comunicar de forma autêntica com os habitantes locais.


É importante mencionar que o uso dessas expressões pode ser considerado informal, e é recomendado utilizá-las com cautela em contextos mais formais ou profissionais. No entanto, em um ambiente descontraído ou entre amigos paraenses, você certamente irá se deparar com essas expressões e poderá usá-las de forma divertida para se integrar ainda mais à cultura local.


Você conhece mais algum termo usado em alguma região do Pará? Aceitamos sugestões e postaremos aqui a gíria ou expressão sugerida, ou ainda, a sua experiência linguística!


Em breve postaremos a Parte 2 do vocabulário paraense de gírias. Não perca!


Boa viagem!


Atenciosamente,

Equipe Amazontour.net

1.093 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page